Teevo

Menu

IoT para distribuir toneladas de alimentos por dia

Quando a LB Alimentos percebeu que movimentar 200 Toneladas de alimentos perecíveis por dia sem erros operacionais era impossível, ficou óbvio que precisavam levar suas operações para nuvem com IoT e Azure SQL server.

As transformações no ambiente de negócios a partir do surgimento da internet, com pessoas se conectando umas às outras, está longe de ter se esgotado. No entanto, uma nova revolução ainda mais disruptiva já começou a se torna real: a possibilidade de conectar máquinas entre si e fazer com que esse relacionamento traga novas facilidades aos negócios. Há um potencial enorme em conectar dispositivos para que executem atividades de forma mais rápida, barata e especializada, automatizando e acelerando processos de negócios.

No entanto, se a IoT (Internet of Things) pode parecer tão simples quanto pegar coisas do mundo e conectá-las à internet para que se se relacionem diretamente, obter resultados para as áreas de negócio é um grande desafio e empresas tradicionais não conseguem fazer isso sem a ajuda de bons parceiros tecnológicos. É o que ocorre nas áreas de varejo e logística, bastante pressionadas por margens estreitas e muito intensivas em volume de transações. Sempre em busca de resultados e com um grande volume de operações, empresas desses segmentos dedicam boa parte de seus esforços em melhorar a eficiência operacional e reduzir custos, como acontecia na LB Alimentos até 2016.

A LB Alimentos compra, recebe, seleciona, empacota e distribui produtos perecíveis, como alho, cebola e batatas, vindos de diversos estados e até outros países. Depois disso, vende e distribui esses produtos para redes de supermercados de médio e grande porte, mercados de bairro, fruteiras e restaurantes. Para realizar sua venda de forma eficiente, a LB vem investindo em melhorias tecnológicas especialmente para suprir suas operações internas.

Apesar das melhorias incrementais realizadas ao longo dos anos, o ambiente de compra e venda é tão irrequieto quanto uma operação de bolsa de valores. Dentro de um grande armazém por onde circulam até 45.000 pessoas e 15.000 veículos por dia, A LB Alimentos transaciona 200 toneladas de alimentos por dia, em alta velocidade e em pouco espaço de tempo, o que os deixava muito suscetíveis a erros operacionais, entre eles entrega de produtos equivocados, itens faltantes em pedidos e carregamento de produtos indisponíveis no momento.

Estudando detalhadamente a operação desse cliente no dia a dia, ficou evidente que seria necessário automatizar o atendimento de vendas e a separação e entrega de itens dos pedidos de compra e entrega, para suportar volume tão grande de transações e eliminar a necessidade de ações humanas em processos críticos da operação de venda e logística, o que era uma grande oportunidade para uma implementação em IoT.

O sistema embarcado desenvolvido para suportar as mudanças da operação é constituído por um Raspberry Pi Modelo B utilizando o sistema operacional Raspbian modificado pela Teevo para executar os sistemas em cloud, automatizar configuração e facilitar a substituição caso necessário sem conhecimento específico ou auxílio de equipe técnica. Tem também interface gráfica para usuário e permite o gerenciamento de horário de funcionamento com desligamento automático.

A solução foi apresentada ao cliente em duas configurações complementares: 

a) Ponto de vendas: 01 sistema embarcado com Monitor LCD via HDMI, com até quatro impressoras térmicas simultaneamente.

b) Logística de produtos: 01 sistema embarcado para impressão remota para até quatro impressoras simultâneas.

O sistema de gestão adotado foi o ERP Hortigestão Sistema para Ceasas, desenvolvido pela empresa de software Justnew, tendo a Teevo como líder DevOps na modelagem e portabilidade para Microsoft Azure. O sistema passou a ser totalmente baseado em cloud Microsoft Azure usando Microsoft Internet Information Services como serviço e Azure SQL Services (além de Azure DNS Service). 

 O dispositivo desenvolvido opera como um gateway de IoT que permite conectar-se à internet para utilizar aplicações hospedados em nuvem ao mesmo tempo em que permite executar localmente leitura de dispositivos e impressão de pedidos, notas fiscais, etiquetas de produtos e outros elementos de controle em tempo real. Operando em modo standalone e com instalação mínima, sendo que todas as configurações ocorrem diretamente no dispositivo, sem a necessidade de servidores locais ou rotinas de configuração. Eventuais atualizações no dispositivo podem ser feitas remotamente pela equipe de suporte sem deslocamento até a sede do cliente, enquanto equipamentos sobressalentes ficam disponíveis na sede do cliente para rápida substituição em caso de falha.

Basicamente, enquanto os clientes compravam os produtos na área de vendas, o pedido era impresso na área de expedição e os produtos eram separados e encaminhados para as docas de carga. Quando os caminhões chegavam, bastava despachar os pedidos rapidamente. Isso fez com que a eficiência da operação aumentasse em mais de 30% nos dias de maior volume de transações e os erros de pedidos chegassem a índices irrelevantes, praticamente zero. De forma ágil e barata foram reduzidos os custos de aquisição de tecnologia e o processo de venda e entrega de produtos foi muito acelerado. 

Outro ganho real para a operação diz respeito ao uso de dados para tomada de decisão. Antes os dados eram consolidados em planilhas Excel manualmente e quando analisados já haviam perdido bastante de sua importância gerencial em função do grande volume e velocidade com que as informações eram geradas. Como as mercadorias são itens altamente perecíveis (batata, cebola, alho), o processo de devolução em caso de falhas gerava a perda total dos produtos, além de custos de reenvio das cargas corretas.

Agora com a solução totalmente integrada e em tempo real os dados são capturados e apresentados aos gestores da operação em qualquer horário e local com velocidade e acuracidade da informação, controle das entregas e eliminação de erros humanos e, principalmente, redução de custos de venda dos produtos.